"Todos os dias o ciclo se repete, às vezes com mais rapidez, outras mais lentamente. E eu me pergunto se viver não será essa espécie de ciranda de sentimentos que se sucedem e se sucedem e deixam sempre sede no fim."





Caio Fernando Abreu






sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

[...]"Ah, nunca contar um segredo com seus olhos pois são os olhos que te decepcionam


Conte um pouco de verdade com muitas mentiras

É a única maneira que eu encontrei"[...]


Straight Through The Heart- Dio

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

[...]"Lutava como um canivete assim ninguém podia humilhá-lo(a)


Ele(a) não tinha dinheiro, oooh nada bom em casa.

Ele(a) andava pelas ruas, como um soldado, e brigava contra o mundo sozinho(a)

E agora são..

18 anos e vida, você conseguiu

18 anos e a vida que você conhece

Seu crime é o tempo e são

18 anos e também o resto de pena" [...]
 
 
18 and life- Skid Row

FOR: Father clown

" Eu dei várias chances a você. Mas sua arrogância e seu ar superior o impediram de querer voltar. Agora se divirta. Passe a mão na parede e sinta o salitre. Sinta o piso frio e úmido. Sinta o escuro da solidão e do cativeiro" [...]

E. A. POE



ps: Te ver sentir e sofrer 1 % do que vivi ...e então saciarei essa minha sede, sede antiga esta que percorre meu sangue e alimenta minha alma. Não tenho certeza de que algum dia irás pagar por tudo isto. Mas de mim só terás nojo e desprezo eternos. E chegará o dia em que poderei olhar pra sua cara de pailhaço falido e deixar você no chão, da mesma forma como você tem me deixado por toda uma vida.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

[...]Alguém tirou a sua fé?

É real a dor que você sente

Você confia?

Você deve confessar

Alguém está tirando o melhor, o melhor, o melhor, o melhor de você?

Alguém tirou a sua fé?

É real a dor que você sente

A vida, o amor, você morre para se curar

A esperança que dispara os corações partidos

Você confia?

Você deve confessar

Eu tenho outra confissão, meu amigo

Eu não sou um tolo

Estou ficando cansado de recomeçar

Em um lugar novo

Você nasceu para resistir ou para sofrer abusos?

Eu juro que nunca vou desistir

Eu me recuso[...]

sábado, 4 de dezembro de 2010

Logo que você nasce, fazem você se sentir pequeno
Não lhe dando coisa alguma, nem sequer tempo

Até que a dor é tão grande que você não sente mais nada

Magoam você em casa e te batem na escola

Eles te odeiam se você é esperto, desprezam se é um idiota.

Até que você esteja tão louco que não consiga seguir as regras deles

Após te torturarem e assustarem por vinte estranhos anos,

Então esperam que você escolha uma carreira,

Quando você não consegue mais funcionar, está tão cheio de medo
 
Mantendo você dopado com religião, sexo e TV

Você pensa que é tão esperto, sem classe e livre

Mas você continua sendo apenas um plebeu fodido até onde consigo ver
 
Há um lugar ao sol, eles continuam a te dizer

Mas primeiro você precisa aprender como sorrir enquanto mata.

Se você quer ser como o povo do topo do monte [...]

 
John Lennon
"Eu não acredito em mágica

Eu não acredito em I-ching

Eu não acredito em Bíblia

Eu não acredito em tarô

Eu não acredito em Hitler

Eu não acredito em Jesus

Eu não acredito em Kennedy

Eu não acredito em Buda

Eu não acredito em Mantra

Eu não acredito em Gita

Eu não acredito em Ioga

Eu não acredito em reis

Eu não acredito em Elvis

Eu não acredito em Zimmerman

Eu não acredito em Beatles

Apenas acredito em mim [...]

E essa é a realidade

O sonho acabou

O que posso dizer?

O sonho acabou [...]"


John Lennon

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

"Oh, que esta carne tão, tão maculada, derretesse,

Explodisse e se evaporasse em neblina! [...]

Como são enfadonhas, azedas ou rançosas

Todas as práticas do mundo!

Ó tédio, ó nojo! Isto é um jardim abandonado,

Cheio de ervas daninhas,

Invadido só pelo veneno e o espinho -

Um quintal de aberrações da natureza [...] E eu, eu sou uma delas!

Mas estoura, meu coração! Devo conter minha língua!"
+++++++++++++++++++++++++++

¨¨And it's hard to hold a candle
In the cold november rain¨¨NOVEMBER RAIN-GUNS

terça-feira, 16 de novembro de 2010

As aranhas entrelaçam-se na minha alma a cada não vontade de querer, de tentar, de falar...a cada não vontade, quem diria, até mesmo de escrever. Na verdade vontade nenhuma, de nada.
Mas pelo menos daqui posso expusá-las a mais de um mês entrelaçando-se, criando ninhos e ninhadas, se criando, recriando e procriando nesse imenso silêncio e escuridão que constituem um vazio de sei lá o que, um vazio que optei por deixá-lo assim, vazio constante e pleno. Já da minha mente e da minha alma, não consigo ou na verdade não as quero expulsar. Talvez até goste delas, considere-as minhas únicas e eternas companhias. No começo achava as aranhas feias, horrendas. Mas agora, até as nomeio. As levo para todo lugar, para meus sonhos, pesadelos. Para meu travesseiro, para meus mais asquerosos e repugnantes desejos. Já existem as mais venenosas, as menos venenosas e as que já não surtem nenhum efeito.
E tudo o que eu queria era que todas, todas essas aranhas já não surtissem nenhum efeito com suas picadas.

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Costumo usar a desculpa de que me decepciono com as pessoas, mas a verdade é que mesmo que eu não me decepcione encontro sempre uma forma de fazer com que meu cérebro dececione-se por si mesmo..Esfaqueio e destruo cada não vínculo- possível vínculo...suicido-os antes mesmo de existirem. É uma compulsão, praticamente isso. Compulsão de quebrar e destruir tudo o que existiria se eu não as tivesse destruído e tudo isso é o que sou hoje ou talvez o que sempre fui ou talvez o que quis ser, ou o que nunca quis ser em meus piores pesadelos.
E a regra infinitamente insaciável é:" Destruir antes que cresça. Com requintes, com sofreguidão, com textos que me vêm prontos e faces que se sobrepõem às outras. Para que não me firam, minto. E tomo a providência cuidadosa de eu mesmo me ferir. "(Caio F. Abreu)

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

"Parece Incrível ainda estar vivo quando já não se acredita em mais nada. Olhar, quando já não se acredita no que se vê. E não sentir dor nem medo porque atingiram seu limite. E não ter nada além deste amplo vazio que poderei preencher como quiser ou deixá-lo assim, sozinho em si mesmo, completo, total."


Esse sentimento que queima dentro de mim, impossível extirpar-lo. Na verdade acredito que já faz parte de mim, faz parte de toda a infinita miscelânia de sentimentos e fatos arquivados no meu sistema de defesa emocional. Pra ser bem sincera, nem sei mais em que acredito. Não consigo entender o fato de por exemplo, pessoas que perdem seus pais de forma brutal e sofrem por ter perdido um pai que realmente era um pai, e fazia jus a essa missão. SIM! porque dizer que é pai e dizer da boca pra fora que EU TE AMO SE CUIDA qualquer um diz. Principalmente quando não se conhece o próprio filho, não sabe nada sobre ele, não conhece seus gostos e desejos ou sequer nunca esteve presente pra enxugar uma lágrima sequer, pra ajudá-lo ou apenas abraçá-lo ou ainda simplesmente pra lhe pagar uma lata de leite na sua infância ou ir a festinha de dia dos pais. Realmente, é fácil falar. E enquanto pessoas perdem pais que representavam um herói e um exemplo em sua vida, outros ficam a pensar o porque de ao invés de terem recebido um PAI receberam um PAILHAÇO.

domingo, 24 de outubro de 2010


[...]mas termina o dia onde você vê que não há nenhum sempre para sempre..Apenas isto.
THERE IS NOT IF- The Cure
...................................................................................
“Encontrar uma sensação de sentido da vida ajudava a servir como um antídoto para o desespero e a desilusão” FRANKL-1992

Cansada......sentido?? é o menos provável de se ter. Mesmo sabendo que essa minha forma de enxergar as coisas e o mundo me faz ver a realidade, sei que é sempre difícil ir contra a maré..a realidade? é tudo o que as pessoas menos veem. A realidade das coisas incomoda, é feia. E todos querem estar no seu perfeito mundo cor de rosa. Não sou pessimista (talvez a vida tenha me feito ser sim!) mas digo que sou realista. Mas o que me enoja mesmo, são as pessoas pequenas que ficam a julgar os outros simplesmente pelo seu jeito de vestir ou qualquer outra característica que torne um indivíduo um pouco diferente da maioria. E o meu cansaço é de alma, de espiríto. Tudo sempre permance nessa constante ciranda de sentimentos e me sinto...ah, Clarice pode descrever melhor que eu:
[...]eu amo o Nada. A consciência de minha permanente queda me leva ao amor do Nada. E desta queda é que começo a fazer minha vida. Com pedras ruins levanto o horror, e com horror eu amo. Não sei o que fazer de mim, já nascida, senão isto.
Clarice Lispector



sexta-feira, 22 de outubro de 2010

"É difícil me iludir, porque não costumo esperar muito de ninguém. Odeio dois beijinhos, aperto de mão, tumulto, calor, gente BURRA e quem não sabe mentir direito. Não puxo saco de ninguém, detesto que puxem meu saco também. Não faço amizades por conveniência, não sei rir se não estou achando graça, não atendo o telefone se não estou com vontade de conversar." Caio Fernando Abreu

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Abulia: Ausência mórbida de vontade; Incapacidade de querer e agir; apatia.
Anedonia:  Perda da capacidade de sentir prazer nos atos que costumavam proporcioná-la.

..............................................................................................................
Minha metralhadora cheia de mágoas Cazuza


segunda-feira, 18 de outubro de 2010

I Wanna Rock- Twisted Sister

 
Eu quero rock (ROCK!)


Eu quero rock (ROCK!)


Eu quero rock (ROCK!)


Eu quero rock (ROCK!)






Abaixe isso, você diz


Bem, tudo o que eu tenho a dizer para você


De novo e de novo eu digo não (Não!)


Não, não, não, não, não






Diz a mim para não tocar


Bem, tudo o que eu tenho a dizer


Quando você me diz para não tocar


Eu digo não (Não!)


Não, não, não, não, não






Então se você me perguntar


Porque eu gosto da maneira que eu toco


Só tem uma coisa


Que eu posso dizer a você






Eu quero rock (ROCK!)


Eu quero rock (ROCK!)


Eu quero rock (ROCK!)


Eu quero rock (ROCK!)






Há sentimento que


Eu não tiro de nenhuma outra coisa


E não há nada


No mundo


Que me faz ir (IR!)


Ir, ir, ir, ir, ir






Aumente o volume


Eu esperei por tanto tempo


Para ouvir


A minha música favorita


Então vamos (vamos!)


Vamos, vamos, vamos, vamos, vamos






Quando não é isso


Eu sinto a música atirando


Através de mim


Não há nada mais


Que eu gostaria de fazer






Eu quero rock (ROCK!)


Eu quero rock (ROCK!)


Eu quero rock (ROCK!)


Eu quero rock (ROCK!)

domingo, 17 de outubro de 2010

[...]Ontem havia tantas coisas

Que nunca me contaram

Agora que estou começando a aprender

Eu sinto que estou crescendo

Porque os dias passados não significam nada para mim

Fotos antigas que eu sempre verei

O tempo apenas desbota as páginas

No meu livro de memórias

Preces em meus bolsos

E sem segurar o destino

Eu vou me manter mudando

Sem tempo para fixar meus pés
...Yesterdays- Guns N' Roses...
............................................................................
"Depois que descobri por mim mesma como é que se pensa, nunca mais acreditei no pensamento dos outros."
Clarice Lispector

sábado, 16 de outubro de 2010


Sempre uma coisa defronte da outra,

Sempre uma coisa tão inútil como a outra,

Sempre o impossível tão estúpido como o real,

Sempre o mistério do fundo tão certo como o sono de mistério da superfície,

Sempre isto ou sempre outra coisa ou nem uma coisa nem outra.

Álvaro de Campos, 15-1-1928

................................................................................
“Eu disse a uma amiga:

— A vida sempre superexigiu de mim.

Ela disse:

— Mas lembre-se de que você também superexige da vida.

Sim.”

Clarice Lispector

sexta-feira, 15 de outubro de 2010


“Estou sentindo uma clareza tão grande que me anula como pessoa atual e comum: é uma lucidez vazia, como explicar? assim como um cálculo matemático perfeito do qual, no entanto, não se precise. Estou por assim dizer vendo claramente o vazio. E nem entendo aquilo que entendo: pois estou infinitamente maior do que eu mesma, e não me alcanço. Além do quê: que faço dessa lucidez? Sei também que esta minha lucidez pode-se tornar o inferno humano — já me aconteceu antes. Pois sei que — em termos de nossa diária e permanente acomodação resignada à irrealidade — essa clareza de realidade é um risco."




Clarice Lispector

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

ROCK AND ROLL FOREVER!

Caro leitor, irei descrever aqui un fato que ocorreu ao meu redor e em que não pude deixar de ouvir e sentir um nojo incomensurável do que eu estava a presenciar.
Fui jantar em um restaurante legal, com minha mãe. Então sentamos e fizemos o pedido. Geralmente não costumo ficar ouvindo conversa alheia, mas hoje não ouvir tornou-se impossível. Ao nosso lado, uma mesa com um casal na ponta, uma mulher ao lado do casal e uma menininha acompanhada da mãe (5 pessoas). Quando eu e minha mãe chegamos, a senhora ao lado olhou-nos da cabeça aos pés, como que curiosamente correndo seus olhos em busca de um veredito para alguma possível condenação. Não querendo classificar pessoas, mas o nossa atenta e julgativa observadora-inquisidora era do tipo de pessoa super "brega" com uma saia jeans super comprida e uma blusa "vermelho candonblé", com os cabelos enormes e sem corte--O perfil da maioria dos evangélicos (protestantes). Está criatura basicamente não jantou, ficou a nos encarar o tempo inteiro...olhava pra mim, pro meu all star, pra tudo!! e eu? Nem aí, com minha cara que a vida me ensinou muito bem a fazer---tipo fuck!.
Então pude comprovar que os ocupantes da mesa eram evangélicos realmente. Falavam de um jeito completamente sem educação, e pelos seus julgamentos demonstraram profunda falta de cultura e crítica do senso comum apurada
Então a ilustre senhora começou a falar dos "irmãos" da igreja, comentando sobre suas vidas e tecendo comentários pobres e de julgamentos tão pobres como o tema que era motivo de suas preocupações (a vida dos outros).
Foi aí que a mãe da garotinha perguntou pra ilustre senhora de "vermelho candomblé": Juliana tem orkut né?? mas vem cá...ela é rockeira é?? A observadora-inquisidora respondeu: é......ehhh....é sim! (caguejando)...assim, ela e minha outra Sobrinha são rockeiras mulherr...mas a minha outra sobrinha foi só uma fase de rebeldia, por isso que ela gostava de rock..mas agora ela já tá normal!
A mãe da garota:: Ahhh mulher que coisa boa, Glória a deus, aleluia!!! AInda bem..
ilustre senhora de "vermelho candomblé disse: Mas Juliana, até hoje ainda gosta. Ela é a única que tá demorando a deixar essa rebeldia de rock...
A mãe da garota:: Afff meudeus!
ilustre senhora de "vermelho candomblé disse: Mas mulher, Lembra de Igor?? ele era rockeiro só usava preto e tudo...mas agora ele tá bem, passou e agora ele escuta Bruno e Marrone!!! (demonstrando satisfação)
Eu, nesse momento sentia que meus tímpanos já estavam mais poluidos que privada pública!!!!!
Mas o pior: cada hora que ela falava nas sobrinhas que eram rockeiras, que usavam preto, que tinham sido rebeldes ela (ilustre senhora de "vermelho candomblé ) olhava pra nós, como se aquilo fosse uma tentativa de indireta pra mim e minha mãe, como no intuíto de "salvar nossas almas" e nos conscientizar do que era certo....Caro leitor, me subiu uma raiva, uma revolta interior imensa (como já é de costume) e me deu um ódio profundo de existir tantas pessoas burras, manipuladas e sem o minimo de conhecimento e senso crítico próprio....e nossaaaa! que revolta!..pessoas mesquinhas que julgam os outros e não olham pra si!! Que morram^^
Foi então que meus tímpanos ainda ouviram mais M*r*a!! Elas começaram a falar de uma Patrícia que tinha o cabelo bem curtinho e vermelho, e fizeram cara feia...dizendo:: afff, ela é muito nova pra ter cabelo curto assim, e ainda mais vermelho! fica com cara de rebelde mesmo!
Então a ilustre senhora de "vermelho candomblé: mas agora ela se ajeitou, está trabalhando em um banco e a patroa disse que ela tinha que deixar o cabelo crescer e escurecer a cor...agora ela tá com cabelo no ombro e escuro..tá até bonitinha!...acho que ela tinha razão mesmo né, ela é muito nova e cabelo curto ai que fica com cara de rebelde! agora tá melhor.
Nesse momento ela olhava pra mim, pro meu cabelo-provavelmente me julgando- mas na verdade morrendo de vontade de cortar também! XD
Depois de poluirem nossos tímpanos, essas criaturas horrendamente pobres de espírito e sem auto-crítica, foram embora (pra nosso alivio!) e fiquei revoltada por existir no mundo pessoas tão pequenas!
Lógico que me deparo com pessoas pequenas e pobres de espírito diariamente e sinceramente parece que tenho ímã pra isso---só conheço pessoas assim!
Mas que M*rd*a essas pessoas existirem!
Por isso que digo, a religião é a maior desgraça da humanidade. Auxíliam na formação pobre de senso crítico das pessoas e aumentam mais ainda os índices de intolerância as diferenças, criando visões de mundo distorcidas e reduzidas.
MUndo deformado, valores desprezíveis...
e eles ainda são "os normais".
Mentes pobres, morram discutindo sobre a vida alheia e morram de vontade de ser  quem vocês tanto julgam!! E rock and roll não é fase..rock and roll é vida, é cultura, é estilo de vida!!!
ROCK AND ROLL PRA VIDA TODA!!
.(....\............../....)

. \....\........... /..../

...\....\........../..../

....\..../´¯.I.¯`\./

..../... I....I..(¯¯¯`\

...I.....I....I...¯¯.\...\

...I.....I´¯.I´¯.I..\...)

...\.....` ¯..¯ ´.......'

....\_________.·´

.....l-_-_-_-_-_-l

.....l-_-_-_-_-_-
.esse post é dedicado aos seres desprezíveis que habitam esse mundo :D HATE! DIE!

*os nomes não correspondem aos reais.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Ah que nojo...o meu estômago faz reviravoltas do ter-que-conviver
Nojo de tudo em volta..
Que cansaço das pessoas e desse mundo deformado
cansaço..olhos cansados em que nada mais torna-se novidade pois tudo já é sabido, experienciado e doído
Oh que raiva! Raiva imensa
Raiva que nunca passa
Ódio extremo que nutre meu coração deformado
Não confio em mais ninguém e em nada, só em mim
E só eu mesma pra entender o porque, não adiante imaginar que alguém possa entender tudo isso um dia- só eu mesma
A cada dia minha máscara torna-se mais polimorfa e os elos que a ligam ao meu eu ,mais ferozes e insaciavelmente inseparáveis
E essa raiva, e esse ódio crescem por entre meus vasos, nutrem meu sangue e enraizam-se nesse coração emputrecido
Ódio, encenação, manipulação, maldição, ALIMENTO!
A ironia entrelaçasse em cada fiasco de carne do meu corpo liberando estardilhaços a cada segundo
Mal que me atormenta ou que me nutre?
Oh como em tempos de outrora comportei-me como tola sendo sempre a tola dos outros
Agora os papéis se inverteram
A vida é um ciclo
O mundo não para de girar
A cada gesto um propósito
E nada no mundo deixa de ter uma intenção
E nada vem de graça
A revolta nunca cessa, nunca se compreende o porque de ter sido escolhido
E todas as minhas ações agora são conscientemente pensadas e calculadas
Afinal tive bons professores :D
Experimente fazer com os outros o que todos fazem conosco
E se divirta enquanto eles acham que te manipulam e você finge que é manipulado
Minha única companhia? A dor sempre será minha eterna companhia
Nos campos floridos da escuridão
As rosas sempre morrem
E eu serei sempre os espinhos das rosas
Sempre


X_x    será que escolhi errado de novo? Será que vou ser uma boa profissional? OMG, odeio pessoas---comofaz? :X

domingo, 26 de setembro de 2010

Ao ser que salvou meu dia

Não sei porque, mas toda essa imagem de família feliz que podemos ver em algumas ocasiões me dá um certo nojo...e me remete à uma imagem falsa e hipócrita construída com base em princípios criados pela sociedade e muitas vezes "encenados" só para desempenhar os pápeis da teatralidade da vida social (como tudo na vida).
É possível que eu minta pra mim mesma, e esse nojo seja na verdade pura inveja. É possível.
x_X
O dia só não foi perdido por causa desse apaixonante ser aí da foto...
.....foi bom poder dar carinho à alguém e sentir o calor do seu corpinho e seu coração bater..
olhar p/ seus olhinhos inocentes e sem julgamentos que nada me pediam em troca, somente a companhia.
É impressionante como frequentemente penso que os animais são muito mais dignos e sensíveis do que nós, seres humanos não humanos repugnavéis.
E é incrível como são uma companhia perfeita. Se alguém ler isso que postei aqui algum dia, é provável que ache que sou louca. Tudo bem, ache!..talvez um dia poderá perceber isso.
Só sei que é indescritível sentir-se acarinhado e que seu coração ainda bate e sente, embora você não o sinta mais.

:) um dia vou ter o meu!

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

"Acho que estamos presos nas nossas próprias armadilhas e não há nenhuma saída...nos debatemos para sair dela...mas é tudo em vão, só nos machucamos. Mesmo assim nunca desistimos. Eu nasci na minha armadilha."


Psicose (1960)- Norman Bates

sábado, 18 de setembro de 2010

"Por trás desta máscara não há só carne,
Há uma idéia
E idéias são à prova de balas"


V for Vendetta

Morte aos pobres de senso crítico, morte à todo e qualquer sistema que nos prende transformando-nos em marionetes..morte a todo esse manicômio do cotidiano fazendo-nos ficar mais e mais distantes da verdade..e não falo de verdade como algo que seja o certo, e sim sobre a incansável vontade de saber mais e mais, pensar e ter o direito ao senso crítico, afinal essa é a pulsão primordial da existência humana.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010




"Desde que eu nasci,

Eles não conseguiram me segurar

Outro desajustado,

Outra cidade em chamas

Não joguei pelas regras e eu nunca realmente me importei....
 
....Olho e vejo que não sou apenas eu

Tantos outros estiveram onde estou..
 
..Passamos nossas vidas em julgamento,

Andamos uma milha eterna - somos a juventude selvagem.."

 
 
Youth Gone Wild + Skid Row

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

"Uma mulher de cabelos vermelhos, sentada em um balanço, vai para cima e para baixo sem cessar. Olhando fixamente para frente, sorri o tempo todo com a boca entreaberta. Veste uma roupa cinza cheirando a naftalina e suas mãos sangram segurando as cordas do balanço. Não parece ser nova nem velha. Apesar das rugas, o tempo no seu rosto não tem data. Quanto mais vai para cima e para baixo, mais a cor dos cabelos se transforma. O vento toca no vermelho e solta faíscas feito brasa assoprada. A pele muito brnaca contrasta com o sangue nas mãos. Não sente dor, não geme, e não parece triste e nem alegre, apenas balança intensamente, acompanhada de um sorriso misterioso. Dizem que está lá há muitos anos. Chovendo, trovejando, ou sob sol, eis a mulher em seu assento que não pára de descer ou subir. Preso entre árvores, o balanço não transmite o lirismo dos quintais da infância. O cheiro de carambola não existe. O cheiro é outro, aliás são outros. O quintal transmite a sensação de não ter chão. Ela voa, segurando as cordas soltando faíscas. Algumas pessoas param para olhá-la, outros riem, algumas irritadas tentam falar alguma coisa, pedem para parar de voar, de exibir as cordas molhadas de sangue, mas ela não escuta e o movimento persiste. Chegando mais perto do brinquedo misterioso, o sorriso da mulher que vai pra lá e pra cá torna-se claro. Não é uma bruxa e nem profeta, é laica e irônica. O sorriso de boca entreaberta revela uma ironia sagrada que incomoda e enfeitiça. Entrnado em seu ritual profano, os olhares mudam de intensidade. A mulher de cabelos vermelhos faz com que os espectadores mais atentos se sintam com os pés presos ao chão. A sensação deste momento é um peso na sola do pés tragados por raízes lá de baixo, imobilizando os que entram em seu sorriso e se encantam pelas brasas de seus cabelos..Dizem também que ela fala sem falar, que algumas vozes são emitidas de seus cabelos quando alguém se permite viver um hipnótico encontro com seu balanço. Quando o vento sopra mais forte, o cheiro de naftalina some de suas roupas e escutamos barulhos de ondas com cheiro de mar. Em seu sorriso que não é alegre e nem triste, ela ironiza a profundidade e o oculto do humano. Na superfície de seu corpo, diferentes tempos e intensidades desassossegam os que tentam lhe dar um nome ou concluir uma história. Na superfície dos cabelos, da pele branca, da mão que sangra segurando as cordas, da boca entreaberta que emite vozes que não são só suas, ela convida  quem observa a multiplicar o olhar.
O inevitável não existe para está mulher."




Luis Antonio Baptista

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

As luzes e as trevas, o aparente e o secreto: Eis toda a arte. Aqueles que a possuem assemelham-se ao céu e à terra, cujos movimentos nunca são aleatórios. Assemelham-se aos caudais e aos mares inexauríveis. Mesmo mergulhados nas trevas da morte, podem reviver. Como o sol e a lua, eles têm um tempo para aparecer, e um tempo para desaparecer. Como as quatro estações, revestem-se de mil nuanças. Só há cinco notas musicais, mas quem jamais ouviu todas as melodias que podem resultar de sua combinação?? Só há cinco cores primárias, mas quem jamais viu o espetáculo de todas as cores matizadas?? Só há cinco paladares, mas deles podem resultar infinitos sabores. Quem jamais experimentou todos??



Sun Tzu

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Labirinto estranho, que lugar é esse?

Escuto vozes sobre meu ombro,

Nada faz sentindo.

Eu me pergunto, por que competimos?

Quando todos os dias corremos em círculos,

Que maneira mais estranha de cair.

Tentei abrir meus olhos,

Estou torcendo por uma chance de fazer o certo
 
Existe o certo?..
 
Se nada é verdade,

O que mais posso fazer?

Eu ainda pinto flores pra você
Eu ainda pinto flores pra você
Eu ainda pinto flores pra você

domingo, 22 de agosto de 2010

Conectador das almas

"A ti _ _ _ _ _ _ _ _ _, darei uma tarefa muito difícil. Terás a habilidade de conhecer a mente dos homens, mas não te darei a permissão de falar sobre o que aprenderes. Muitas vezes te sentirás ferido por aquilo que vês, e em tua dor te voltarás contra Mim, esquecendo que não sou Eu, mas a perversão de Minha Idéia, o que te faz sofrer. Verás tanto e tanto do homem enquanto animal, e lutarás tanto com os instintos em ti mesmo, que perderás o teu caminho; mas quando finalmente voltares, terei para ti o Dom supremo da Finalidade. E ele retornou ao seu lugar. "

Martin Schulman - 1977

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Não escrevo com a intenção de que através disso eu mude algo. Escrevo como necessidade e eu realmente preciso fazê-lo. Em meio a liberdade falseada que possuimos, expressando-me posso ser livre. E é por isso que o faço. A escrita é a extensão de mim mesma, o que não significa que corresponda ao meu eu por completo. Tão pouco escrevo para que alguém leia e tire conclusões sobre a forma que escrevo ou o que quis representar escrevendo. Pelo menos, essa não é minha intenção. Se escrevo é para combater meus fantasmas interiores e dizimar um pouco das dores que carrego, e me reservo a esse direito. Também não espero que alguém queira ler esses murmúrios, esboços mesquinhos do que sinto. Simplesmente não espero nada de ninguém e muito menos do que escrevo.
De você caro (a) leitor (a) que por ventura lê o que escrevo, nada peço. Finalizo apenas com dois trechos de Clarice Lispector que descrevem perfeitamente o que sinto agora:
"E se me achar esquisita,
respeite também.
até eu fui obrigada a me respeitar".
 "Escrevo porque encontro nisso um prazer que não consigo traduzir. Não sou pretensiosa. Escrevo para mim, para que eu sinta a minha alma falando e cantando, às vezes chorando"

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

I care

eu não devia me importar, mas eu me importo.
e eu não saberia descrever, mensurar e externar de quantas e de tais variadas maneiras sou surpreendida me importando com você...nos lugares onde passo, em uma música, em um gesto que te lembra.
Isso não pode ser normal. Já fiz de tudo pra não pensar mais, pra não lembrar o que poderia ter sido e  não foi..pra não me culpar por não ter..agora não tem jeito!
Isso deve ser uma doença..nunca quis não me importar com alguém e não conseguir isso...e o pior fingir que não me importo...jogando um jogo completamente sem nexo comigo mesma.
É o único elo que falta ser cortado..o único nervo que deve ser extirpado pra que eu não sinta mais..pra que eu não erre mais com ninguém.
E tenho enormes motivos pra extirpá-lo..o maior deles é de que o que eu queria não posso ter e isso acima de tudo me é proibido agora..mais que tudo!

domingo, 8 de agosto de 2010

Death

Amanhã é o dia D
D de death
dia de ouvir os macaquinhos lobotomizados
Ouvir não, deixar que entre e saia dos timpanos...
todos os dias.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010


Certa vez indagaram a um camponês, qual seria o mais triste dentre os animais.
O velho camponês respondeu logo:
- O corvo é o animal mais triste. Ele é a própria imagem da tristeza. E explicou por quê.
- Quando os ovos se abrem e os filhotes nascem, ele, ao invés de se alegrar, fica inconsolável e vai embora. Mas parte para uma árvore próxima do ninho e ali continua se lamentando. Só quando vê surgirem as primeiras penas nos filhotes é que ele volta. Em breve, estará sozinho. É posssível ser mais triste?

E da mesma forma do corvo eu ajo..sempre.
É possível ser mais triste?


sexta-feira, 30 de julho de 2010


Nada de louvar amores,




Alegrias ilusórias,



Idealizar estórias.



Quero almas sem gozos.



Gritar fatos cruéis



Que a vida nos lega: estorvos!









Meu tempo é negro: azeviche.



Trago um peito carcomido pela velhice.



Jovem com olhos em grau de senilidade!



Corpo, sem cicatrizes.



Tenho marcas na alma, no ver as coisas.





Não na idade!



Por Fernanda Passos

domingo, 25 de julho de 2010

"E pior do que a saudade do que se perdeu é a saudade do que poderia ter sido e não foi; Das cartas que poderiam ter sido escritas e não foram; Do beijo roubado que não se roubou; Do abraço acolhedor de dores que não foi dado; Das mãos entrelaçadas que não entrelaçaram-se; Dos destinos que se cruzaram mas que não se ligaram..
E essa coisa [ou dor como queiram meus pouquíssimos ou nenhum leitor] não tem nome: não é saudade visto que saudade tem-se do que se foi e não do que não passou de um sonho rabiscado nas páginas negras, borrosas, envelhecidas e cansadas perdidas na escuridão da minha alma"

sexta-feira, 16 de julho de 2010


"Olha, eu estou te escrevendo só pra dizer que se você tivesse telefonado hoje eu ia dizer tanta, mas tanta coisa. Talvez mesmo conseguisse dizer tudo aquilo que escondo desde o começo, um pouco por timidez, por vergonha, por falta de oportunidade, mas principalmente porque todos me dizem que sou demais precipitado, que coloco em palavras todo o meu processo mental (processo mental: é exatamente assim que eles dizem, e eu acho engraçado) e que isso assusta as pessoas, e que é preciso disfarçar, jogar, esconder, mentir. Eu não queria que fosse assim. Eu queria que tudo fosse muito mais limpo e muito mais claro, mas eles não me deixam, você não me deixa"

domingo, 11 de julho de 2010

x_O

e quando as forças sessam?..


e quando a dor tirou de ti toda a fé?..


e fostes condenado a não crer..


é..fácil não tentar..


é difícil não crer


e o mais difícil é saber que nada é o que parece ser..


e que tudo na vida acaba..é o ciclo eterno..é o ciclo da vida..da morte


Tudo tem um começo, tudo tem um fim..e tudo recomeça..


Mas tudo sempre se vai...sempre..


e as flores sempre morrem


os sentimentos morrem..


as pessoas mudam..você muda..e nada é eterno!!


Nada..






segunda-feira, 28 de junho de 2010


"Pessoas acreditavam que quando alguém morria um corvo carregava a alma para a terra dos mortos. E às vezes, só as vezes o corvo pode trazer a alma de volta para consertar as coisas, o direito de coisas."

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Odeio


Não suporto mais eles falam e nada dizem julgam e nada sabem nada nada de ninguém e não suporto ter que ouvir ouvir por isso agora finjo as 24 horas do dia sim 24 horas e exceções com uma ou duas pessoas e se me perguntar se sou boa atriz direi que não não ainda mas em breve conseguirei plenamente ouvir e não ouvir ouvir sem que o lixo orgânico apodrecido invada meu sangue e estou estou conseguindo e e eles ouvem mas não ouvem ouvem mas não escutam e só enxergam com os olhos e só ouvem com seus ouvidos malditos e só sentem tocando com suas mãos de merda apodrecida apodrecida jurando serem limpos e quando tocam não sentem nada sentem e assim nada são nada são no topo de sua bosta flutuante se consideram reis reis da bosta e disparam seus dardos apodrecidos jurando jurando serem bons e não passam de macaquinhos lobotomizados mamulengos manipuláveis robôs jurando serem mais espertos boiando na merda de suas cabeças medíocres medíocres robôs crentes que manipulam a todos e que são mais espertos
Fuck '

sexta-feira, 18 de junho de 2010

自畫像

Reside aqui uma serpente, com mil milhas de comprimento

Enrolada sobre si mesma a mil milhas profundas

Os olhos parecem doces, ela tem olhos que parecem doces

Dura e azul, mas macia como os pés dos gatos

Fora da vista ou no elemento da luz

Ela poderia ser um demônio, ela poderia ser um anjo

Com aranhas dentro de uma visão do inferno

Sua espinha é um grito vertical

Lenta como concreto e tão borrada quanto um sonho


Ela gira ao redor e para baixo num eixo central de atrocidade

Abastecida pela inércia, pela profundidade, pelo diâmetro e pela velocidade,

Sua alma- uma ruína retorcida de desespero e dor

E as aranhas em seu interior apenas oram por chuva

Tempo de matança tempo de matança

E de orar pela chuva

A mil milhas de profundidade.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

engasgos do semestre anterior- Cuspidas agora


"

Acorda! Você não nasceu pra sonhar..não olhe...se conforme, o seu triunfo é a dor".

"Será que não vê? Ou não quer enxergar? Não olhe...esse não pode ser seu mundo...caia novamente....afunde....Aqui na escuridão você se conhece"..


"Continue mascarando seu rosto.. a lágrima cai não no rosto e sim na alma...Lute e não se deixe sonhar...Não!!...sempre se torna um pesadelo...sempre será!

by 裡

sábado, 12 de junho de 2010

terça-feira, 8 de junho de 2010

AnD lOvE sAy No

SONETO LXV
Se a morte predomina na bravura
Do bronze, pedra, terra e imenso mar,
Pode sobreviver a formosura,
Tendo da flor a força a devastar?
Como pode o aroma do verão
Deter o forte assédio destes dias,
Se portas de aço e duras rochas não
Podem vencer do Tempo a tirania?
Onde ocultar - meditação atroz -
O ouro que o Tempo quer em sua arca?
Que mão pode deter seu pé veloz,
Ou que beleza o Tempo não demarca?
Nenhuma! A menos que este meu amor
Em negra tinta guarde o seu fulgor.



William Shakespeare

WORLD SO HOLLOW

..somos jovens, perdidos e tão apavorados
não há cura para a dor
não há refúgio para a chuva
todas nossas orações parecem falhar
Na alegria e na tristeza meu lar é nos seus braços
em um mundo tão falso
isto está partindo meu coração...

Him

terça-feira, 1 de junho de 2010

W_W MeRcAdO dE cOrPoS

mentes vazias maquiagem máscara tudo como um imenso mercado
dor disfarçada de beleza
horror disfarçado de licor
opiniões que não existem
falam sobre insanidade e eles mesmos são insanos
vazio vazio vazio
senso crítico agora é maldição
é errado ver, é errado falar
produção de robôs
robôs falam de robôs
inferno ao ceú aberto
maldição aos que enxergam
morte aos que vivem mortos pelos vivos-mortos?
melhor se segurar bem firme
a viagem ao vazio só começou
melhor ser amaldiçoado
do que não enxergar

sexta-feira, 28 de maio de 2010

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Morte



Tentei..
ele é testemunha. Afinal ele é testemunha de tudo..ele sou eu, ele é meus olhos quando preciso roubar, minha dor quando não posso sentir, minha coberta, meu abrigo, meu ódio.
Ódio, ódio, ódio- 666 vezes
Percorrendo no meu sangue, nutrindo meu coração. Agora posso ver quem realmente sou, quem realmente devo ser.
E estou disposta..disposta a pactuar com ele
quero ser seu instrumento..quero dar-lhe...quero agir e roubar.
Dor, muita dor causar. Agora encontro-me com a verdade.
e nada, nada mais importa. Quero que todos se fodam, não me interessa mais a dor do outro..que morram, que se explodam..hate,hate infinite hate.
Não me importam os que morreram, os que sofrem, a miséria.
Quero ser seus olhos disfarçados de ovelha. Quero dar-lhe e receber a saciedade dessa dor..quero sentir prazer...muito prazer.
A dor do outro liberará vida em mim. Serei sua profeta se em troca der-me longa vida para trabalhar em prol dele.
E nada mais importa.
É preciso morrer para nascer de novo. E agora morri, estou nascendo de novo.
oh..as portas se abrem e caminho sem olhar pra trás.
Nada importa.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

quarta-feira, 28 de abril de 2010

sem título

Sem esperança sendo levado
Nos olhos do fantasma de novo
De joelhos
E minhas mãos no ar de novo
Empurrando meu rosto nas memórias sobre você de novo
Mas eu nunca sei se isso é real
Nunca sei como eu quis sentir
Nunca disse completamente o que eu quis dizer a você
Eu nunca consegui as palavras para explicar para você
Eu nunca soube como torna-las acreditáveis
E agora o tempo se foi
Outra vez desfeito
Sem esperança de lutar contra o demônio
Futilidade
Sentindo o monstro
Escalar mais profundamente dentro de mim
Sentindo-o roer todo o meu coração
Esfomeado
Eu nunca vou perder esta dor
Nunca vou sonhar com você outra vez


The cure

quarta-feira, 14 de abril de 2010

the killer ?!

Você está me matando lentamente com requintes mórbidos, privando-me da única migalha que eu até então implorava a ti, não com palavras, mas com o olhar da alma: a tua companhia.
E este veneno que estás injetando, libera uma dor maior.
Preferiria que fosses mais direto, apunhalando-me ferozmente, dando-me um motivo para te odiar.
Mas sei que mais frio e feroz é teu olhar, que transmite a mensagem: afaste-se!!!..com reticências e interrogações.
E insanamente sinto-me mais intrigada e atraida: uma maldição.
Pensamento incansável e vontade de desvendar o que está além das nuvens..

Mirror of pain

Eu..sinto o peso do seu fardo e queria tanto, tanto poder ajudar. Mas sei que nada posso fazer, não posso invadir o espaço do outro, até mesmo para não ser mal interpretada...mas que pretensão a minha. Eu, insignificante ser que nada represento pra ele..e a quem não posso proteger de forma alguma :T
Sentindo esta imensa necessidade..só desejo verdadeiramente estar errada sobre minhas "premonições". Não quero passar pela frustante experiência de vê-lo se deparar com esses fatos interrompendo o seu percurso de vida e sentir que nada fiz para avisá-lo, pelo meu mediocre medo de ser mal interpretada e de que não acredite no que eu diga.

terça-feira, 6 de abril de 2010

...

"Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim."

Chico Xavier

sábado, 3 de abril de 2010

A sign

"E nunca, jamais, de forma alguma pensei em ter um sonho desses..

O céu era cinza como as lápides que me cercavam..as folhas de carvalho dançavam por entre as árvores em completo frenesi, e os carvalhos margeavam o cemitério de forma magnificamente obscura. E lá, lá estava ele...com toda sua beleza pertubadora- completamente desconcertante.

Seus olhos, oh seus olhos..eram insondáveis e negros..negros como a noite.

E seu sorriso..possuia requintes de crueldade. Por trás dele, uma eterna tristeza oculta. Durava apenas milésimos de instantes, mas era encantador, deixando vestígios em seus olhos.

E sua voz..era única..era indescritivelmente suave e anestésica..tão suave quanto as pontas dos dedos, e nela não havia ansiedade aparente em ser urgente, embora seus olhos instalassem uma imensa divergência entre um e outro, como se quisessem tragar completamente qualquer coisa ou pessoa antes mesmo de absorvê-las.

E seu cheiro..era possível senti-lo há quilômetros de distância. Era diferente de todos os outros cheiros..capaz de afetar as funções cerebrais..extase de sangue.

Capaz de me fazer sentir como uma presa atraída por uma planta carnívora. E mesmo sentindo o perigo, avanço. Como se estivesse completamente hipnotizada. Como uma criança tola que não conhece o abismo.

SIM! ele é o abismo mais intrigante e instigante que já vi.

De repente, simplesmente ele sorriu- aquele sorriso torto- como quem Lê o que se está pensando e sem olhar pra trás simplesmente desaparece lentamente, com todo seu poder entorpecente e seus gestos lânguidos que despropositados e sem a menor intenção em serem sincronizados, mais parecem uma dança de êxtase puro e indecifravelmente contagiantes e misteriosos. E algo era verdadeiramente diferente nele.
E assim acordei, e me senti feliz, por sentir que a chuva tinha cessado, pelo menos para alguém que gosto.
Um sonho, um sinal, uma prece para a chuva."


written by me

quarta-feira, 24 de março de 2010

Waking

Triste Mas Verdade (Sad but true)

Ei, eu sou a sua vida
Eu sou quem te levou para lá
Ei, eu sou a sua vida, eu sou quem se importa
Eles, eles traem
Eu sou seu único amigo agora
Eles, eles trairão
Eu sempre estarei lá
Eu sou seu sonho, faço você real
Sou seus olhos quando você precisa roubar
Sou sua dor quando você não pode sentir
Triste mas é verdade
Sou seu sonho, mente perdida
Sou os seus olhos quando você está longe
Sou sua dor quando você paga na mesma moeda
Você sabe que é triste mas é verdade
Triste mas verdade!Você, você é minha máscara
Você é minha coberta, meu abrigo
Você, você é minha máscara
Você é o que é culpado
Faça, faça meu trabalho
Faça meu trabalho sujo, bode espiatório
Faça, faça minhas tarefas
Para que seja você o envergonhado
Eu sou seu sonho, faço você real
Sou seus olhos quando você precisa roubar
Sou sua dor quando você não pode sentir
Triste mas é verdade
Sou seu sonho, mente perdida
Sou os seus olhos quando você está longe
Sou sua dor quando você paga na mesma moeda
Você sabe que é triste mas é verdade
Triste mas verdade!
Sou seu sonho
Sou os seus olhos
Sou sua dor
Sou seu sonho (Sou seu sonho)
Sou os seus olhos (Sou os seus olhos)
Sou sua dor (Sou sua dor)
Ódio, sou o seu ódio
Sou o seu ódio quando você quer amor
Pague, pague o preço
Pague por nada ser fácil
Ei, eu sou sua vida
Eu sou quem te trouxe aqui
Ei, eu sou sua vida
E eu não me importo mais
Sou sua verdade, dizendo mentiras
Sou seus álibis racionais
Estou dentro, abra seus olhos
Eu sou você
Triste mas verdade


Metallica

quarta-feira, 17 de março de 2010

Hide my heart where all dreams are entombed

DOBRE


Peguei no meu coração
E pu-lo na minha mão
Olhei-o como quem olha Grãos de areia ou uma folha.
Olhei-o pávido e absorto
Como quem sabe estar morto;
Com a alma só comovida
Do sonho e pouco da vida.


Fernando Pessoa

quinta-feira, 11 de março de 2010

The raven


"..E o Corvo, sem sequer se bulir, se senta imóvel, se senta ainda, sobre o pálido busto de Palas que há sobre a porta do meu quarto. E seus olhos têm toda a dor dos olhos de um demônio que sonha; e a luz da lâmpada que o ilumina, projeta a sua sombra sobre o chão. E minh'alma, daquela sombra que jaz a flutuar no chão, levantar-se-á - nunca mais!"



Edgar Allan Poe

terça-feira, 9 de março de 2010

...



"Pela treva do espírito lancei-me,
Das esperanças suicidei-me rindo...
Sufoquei-as sem dó.
No vale dos cadáveres sentei-me
E minhas flores semeei sorrindo
Dos túmulos no pó."


Álvares de Azevedo

segunda-feira, 8 de março de 2010

My love, forever in the dark..

Sol Azul Turquesa

Nós deveríamos saber como isso é difícil para parar de nos distanciarmos
Almas separadas foram entrelaçadas com todas essas mentiras confusas

Eu estou morto por você, uma sombra foi perdida
Meu amor, para sempre na escuridão
E de todas essa mentiras a verdade é você
Muito perto do meu coração

Desse vazio eu fiz meu lar
Abraçando memórias de sonhos que já se foram
Um último cuidado do cadáver do amor é tudo o que eu quero
Por debaixo deste sol azul turquesa

Nós viajamos os oceanos de desgraça em uma balsa construída com nossas lágrimas
Procurando por um meio de desaparecer por um momento dos nossos mais profundos medos
Eu afogarei você nesse rio obscuro
Para sempre em meu coração.

Him

domingo, 7 de março de 2010

No, I'm not normal, lords and ladies. And with pride!

Sempre me senti diferente das pessoas da minha idade. Quando digo sempre, é sempre mesmo desde o começo, desde pequena.
Quando eu era criança, já possuia a consciência de ficar na minha e jamais invadir o espaço do outro.
As garotas? Essas eram sempre fúteis..só falavam de shopping, roupas de marca e garotos.
Ah! também ficavam conversando sobre seus novos celulares que eram trocados tão rapidamente quanto elas enjoassem do mesmo.
E enquanto isso? Eu amava música, mesmo sem sequer sonhar em ter um celular ou um computador, amava ficar sentada em um lugar mais tranquilo lendo um livro ou desenhando e se possível escrevendo...Ah, sempre tive uma relação muito íntima com a escrita..e ela se tornou logo cedo minha real companheira e uma das minhas fugas de crescimento pessoal.
Nunca tive nada fácil na vida. E hoje posso ver isso de uma forma positiva, pois quem seria eu se desde cedo não tivesse que conviver com a falta de certas coisas e com minha própria solidão em meio aos outros? É bem provável que hoje seria uma dessas garotas fabricadas como em série pela fábrica da sociedade!
Eu era vista como uma "esquisitinha", afinal de contas é normal uma garota não gostar de conversar esses assuntos fúteis considerados normais para garotas?
É normal uma garota preferir estar lendo um livro de Dom Casmurro ou poemas no horário do intervalo ao invés de estar comentando com as demais sobre como aquele garoto é um "gatinho"? É normal uma garota não achar que pelo fato de não usar salto seja menos competente ou menos garota do que as demais?
É normal você ser você mesma e sempre ter personalidade desde tão cedo?
É normal você ser garota e gostar de desenhar e de criar sempre algo diferente em suas roupas, e assim ter um estilo único?
É normal alguém te dizer que aquilo que você está usando é feio, estranho e diferente e você ao contrário da necessidade de auto-afirmação/ aceitação grupal, continuar usando sem ligar pra opinião dos outros?
É normal, tendo nascido em uma cidade do nordeste brasileiro, você não gostar de forró/ axé/ pagode/ funk, e sim de música clássica, instrumental e rock?
É normal ter uma auto-crítica evoluída e um senso de justiça e lealdade para com os outros mesmo ainda sendo criança/ adolescente?
É normal você considerar cada criação da natureza como parte de si mesmo e respeitá-la com veemência visceral, observando-a, respeitando-a e sentido-a como parte integrante e vital para a harmonia do mundo em conjunto com seu eu?
É normal desde cedo indagar-se sobre as injustiças da vida, de onde viemos, para onde iremos e qual nossa real missão aqui na terra?
É normal ser discriminado pelo próximo só pelo simples fato de fugir um pouco do que é considerado comum, nunca tendo seus sentimentos valorizados e mesmo assim ainda se questionar sobre qual a alavanca da vida que impulsiona essas decepções/ obstáculos e sobre como mesmo se sentindo preso na escuridão você consegue emergir à superfície ainda mais pleno?
É normal ser forte e aguentar o desprezo de pessoas julgativas e pobres de espírito e continuar na sua caminhada, sendo você mesmo, e tendo cada dia mais certeza de que o que importa é o que você sabe sobre si, e não o que os outros pensam?
A sociedade ao longo da história cria conceitos sobre tudo...mas se os conceitos são construídos ao longo da história humana, recebendo influência de variados campos de interesse próprio e assim sendo manipulados como peças de um jogo que se chama sociedade, como podem corresponder à verdades absolutas?
e assim, então, o que é ser normal?
Ser você mesmo é uma tarefa árdua e cansativa hoje.
E a sociedade produz as pessoas como bonecos em série, criando uma sociedade de relações líquidas, plásticas, descartáveis e onde tudo o que não é "massificado" está fora do padrão e assim deve ser excluído e desvalorizado. E se você se mantém firme e certo de quem você é e quer ser, e de seu papel na sociedade como agente transformador, você não é normal?
O que não é normal é esta forma egoísta, discriminativa e completamente distorcida do que é ser normal...
E esta forma egoísta e limitada de sociedade só nos faz afundar cada vez mais na obscuridade da destruição humana, um caminho infinitamente sem volta e que irá aumentar cada vez mais a distância que separa um ser de outro ser, caindo em um buraco negro e em um erro sem fim. Porque será que é tão difícil para as pessoas conviver com o diferente?
E então, sou normal??
Não, não sou normal, senhores e senhoras. E com orgulho!


QQQrsrsrs--Quase morro de rir quando leio isso agora (LOL)... como eu já fui idiota, nooossa tive até pena dessa "FALECIDA" eu mesma!!....tão boazinha, tão amiga e tão ingênua. Devo muito a cada pessoa que me apunhalou, que pisou, que me crucificou, que me sugou---:P foi com vocês que aprendi!..olhá só, dizer que sou mal agradecida não podem O_X